ENTREVISTA COM NOSSO PRINCIPAL EXECUTIVO DIGITAL: O DIGITAL COMO UM DIVISOR DE ÁGUAS

Na edição inaugural da revista The Industrialist da Accenture, o vice-presidente Ogi Redzic, que é o executivo número um da Caterpillar quando o assunto é digitalização, explica como nossas ferramentas e inovações digitais estão ajudando os clientes a se envolverem com a Caterpillar.

Saiba agora o que Redzic compartilhou em sua conversa com The Industrialist.

Qual é a palavra que melhor descreve você?
Determinado. Se eu puser meus olhos em algo, faço o que é preciso para motivar a mim e a todos ao meu redor para alcançar a meta.

Conte sobre seu papel e jornada na Caterpillar?
Realmente tenho dois papéis principais. Lidero a Divisão Cat Digital como vice-presidente, garantindo o desenvolvimento das ferramentas e recursos digitais certos para dar suporte aos negócios da Caterpillar. Pense nisso como uma função de desenvolvimento de produto, em que construímos soluções digitais internamente e com fornecedores digitais.

Então, como executivo responsável pelas tecnologias digitais, ajudo a desenvolver e alinhar uma estratégia digital para toda a empresa e nossa rede global de revendedores, que desempenha um papel fundamental no fornecimento da experiência digital moderna aos nossos clientes.

Qual é a sua abordagem para a inovação?
Primeiro, para nós, a inovação não é um objetivo em si. Em vez disso, vejo a inovação como uma ferramenta para melhorar os negócios e envolver os clientes com a Caterpillar e nossos revendedores. Procuramos maneiras de aplicar as tecnologias digitais às oportunidades existentes - problemas que não poderiam ser resolvidos sem o avanço da tecnologia. Chegamos então a uma melhor experiência do cliente, uma cadeia de suprimentos mais eficaz ou a capacidade de ser mais inteligente e rápido. O digital para nós é um acelerador - não um negócio em si.

Observamos a inovação com três lentes. Primeiro é a lente do cliente. Estamos sempre procurando maneiras de apoiar as operações de nossos clientes à medida que suas necessidades mudam. Queremos facilitar a interação com eles, aprender como comprar nossos produtos e interagir com nossos serviços. Por exemplo, os clientes podem gerenciar toda a sua frota pelo aplicativo Cat ou no My.Cat.com, desde o pedido de peças de reposição até a contratação de um serviço. Tudo o que torna essa jornada mais fácil e mais atraente é uma parte enorme da inovação nessa lente do cliente.

A segunda lente são os revendedores. Facilitamos o contato dos revendedores com a Caterpillar e o fornecimento de serviços aos clientes. Desenvolvemos ferramentas avançadas de monitoramento das condições para que os revendedores possam ser informados sobre possíveis problemas no sistema das máquinas e dos motores dos clientes, e fornecemos aos revendedores ferramentas para identificar facilmente as peças - mesmo nos motores mais complexos - para que os revendedores possam solicitar substituições. Os revendedores são essenciais para criar uma experiência atraente e contínua para o cliente no comércio eletrônico - e essa é a peça do quebra-cabeça em que ajudamos.

A terceira lente é a empresa Caterpillar. Meu trabalho é tornar a Caterpillar e meus colegas de trabalho mais bem-sucedidos em tudo o que fazem - desde reduzir custos e servir aos clientes, acelerar o tempo de comercialização e criar aplicativos com mais facilidade. Como exemplo, minha equipe pode ajudá-los a encontrar novas informações a partir dos dados existentes - como comparar dados de utilização da frota do período X ao período Y, identificar que eventos podem estar correlacionados para explicar a diferença na utilização de máquinas de uma frota...

Você pode destacar inovações relevantes na Caterpillar?
Temos mais de 30 anos de experiência em autonomia, com mais de 280 caminhões de mineração autônomos que já transportaram mais de dois bilhões de toneladas, com zero acidente. Isso é extremamente impressionante.

Enquanto o setor de transporte ainda está testando a condução autônoma de nível 4 e 5 em vias públicas, na mineração, a Caterpillar está em produção desde muito cedo e com sucesso, resultando em muitos benefícios para nossos clientes. Quando as possibilidades de um acidente em uma mina que usa caminhões de mineração autônomos são tão limitadas, os clientes tornam-se mais produtivos – e talvez não precisem se preocupar tanto com a questões como a fadiga ou a distração do operador de caminhões e com sua condução na mina.

Também houve inovação significativa em relação ao controle remoto. O pacote Cat Command permite cochilamento remoto, por exemplo. Portanto, se você está à beira de um poço, pode tirar um humano do ambiente potencialmente perigoso. Você também pode ter um operador operando remotamente várias máquinas.

Por fim, desde 2018, aumentamos em três vezes nossos modelos de análise baseados em física. Estamos aproveitando os dados que coletamos para desenvolver modelos proprietários de aprendizado de máquina que preveem tempo de inatividade não planejado para nossas máquinas ou reconstruam programações para os principais componentes.

Você pode dar um exemplo de como o aprendizado de máquina pode realmente impactar a jornada do cliente?
O aprendizado de máquina de condução analítica amplia o escopo da detecção de derrapagem das rodas sem a necessidade de sensores caros adicionais. Isso é feito sintetizando dados dos sensores mais comuns disponíveis. O valor desses alertas pode ser significativo. Por exemplo, um desses alertas para um planejador de mina economizou de U$ 30.000 a U$ 50.000 em peças e mão-de-obra e evitou 48 horas de perda de produtividade. Mais de 20 desses alertas foram gerados recentemente com base nas análises da Caterpillar.

Como a Caterpillar se diferencia dos concorrentes?
Temos uma rede global de 165 revendedores independentes em 191 países e trabalhamos com eles em novas soluções digitais. Ser capaz de alavancar essa rede nos dá um diferencial muito bom, porque quando você está comprometido adequadamente, ele cria um ecossistema extremamente poderoso.

Quase todos os novos produtos estão conectados e, também, conectamos ativos mais antigos. Isso significa que nossas máquinas e motores nos informam, dia após dia, como estão operando, fornecendo informações que podemos usar para melhorá-los.

Além disso, temos várias ferramentas digitais. Por exemplo, o Cat Inspect é uma ferramenta que digitaliza o processo físico de inspeção de máquinas e motores. O cliente pode coletar informações sobre a saúde da máquina e enviá-las automaticamente ao seu revendedor preferido.

Um cliente pode fazer a inspeção antes de dar a partida em uma máquina durante um dia de trabalho. Mais de 50% dessas inspeções resultam em pelo menos uma ação, por isso cria um ecossistema muito dinâmico de feedback que é enviado aos revendedores e à Caterpillar. Tivemos mais de um milhão de inspeções em 2019.

Quais tecnologias você está incorporando nos produtos e serviços da Caterpillar?
Sempre olhamos para o digital pelo prisma de um modelo de três camadas. Começa com a camada física - trabalhando para ajustar todas as nossas máquinas com a melhor conectividade possível daqui para frente, seja celular 4G, satélite, WiFi ou Bluetooth. Depois, temos a camada da plataforma, onde “ingerimos” dados, processamos e disponibilizamos para consumo. E, finalmente, temos uma camada de aplicativos em que criamos aplicativos para um segmento ou necessidade específica.

Durante todo o processo, aplicamos o aprendizado de máquina para melhorar nossos produtos e serviços. Estamos trabalhando com algumas das melhores empresas do mundo para aprimorar nossos recursos de aprendizado de máquina e acho que estamos fazendo um progresso incrível. Podemos processar grandes quantidades de dados em tempo real, validar e melhorar nossos modelos de aprendizado de máquina rapidamente.

Onde você vê a Caterpillar daqui a cinco anos?
É difícil prever o impacto exato que o Covid-19 terá na maneira como nossos clientes fazem negócios. O que eu sei é que o digital será ainda mais importante do que é hoje. Acho que estamos bem posicionados para apoiar nossos clientes e inovar à medida que suas necessidades progridem neste espaço.

Os clientes se envolverão ainda mais com a Caterpillar por meio de nossas ferramentas digitais e serviços de comércio eletrônico. A inteligência artificial se tornará uma parte cada vez mais importante de muitas coisas que fazemos - e não apenas em autonomia e soluções remotas. Será vital a forma como garantimos que temos a peça certa no lugar certo quando o cliente precisar, como os ajudamos a reparar máquinas e como tornamos tudo isso econômico.

O que mais o inspira?
Sou incrivelmente inspirado por pessoas que lideram pelo exemplo - aquelas que estabelecem missões motivadoras claras para suas equipes. Muitas empresas estabelecem metas financeiras e acho que são necessárias. Mas elas realmente não são suficientes para as pessoas ficarem realmente motivadas. Quando você se dedica tanto tempo quanto todos nós trabalhamos, deve sentir que o que faz causa um impacto positivo no mundo. Nem sempre tive isso na minha carreira, mas tenho na Caterpillar. Quando as redes de energia falham, os sistemas Cat Power entram e alimentam os hospitais. Quando temos um terremoto, as escavadeiras Cat estão ajudando imediatamente no local. Há pouco tempo, um navio-hospital estava sendo rebocado para Nova York por rebocadores com motores Cat.

Vemos a Caterpillar ajudando as pessoas quando coisas boas e ruins acontecem. Isso por si só é bastante motivacional. Na Caterpillar, também temos equipes de liderança que engajam as pessoas para a missão, e eu sou positivamente motivado por isso. Também gosto de ver o que está acontecendo no Vale do Silício com os clientes Business-to-Consumer (B2C). Quando um cliente tiver uma boa experiência no B2C, ele esperará essa experiência no B2B (Business-to-Business). Boas experiências da sua vida pessoal ou do consumidor precisam se traduzir em experiências tão boas, se não melhores, no mundo B2B. E acho que esse ciclo de tempo está ficando cada vez mais curto.

Como você e sua equipe vão mudar o jogo e impactar o futuro da Caterpillar?
É meu trabalho garantir que tenhamos a base digital certa para que a empresa tenha o mesmo sucesso, seja icônica e notável nos próximos 95 anos como foi nos últimos 95. Temos que continuar conectando nossos ativos às tecnologias mais adequadas disponíveis, e devemos continuar avançando em nossa plataforma digital consolidada, que é uma fonte corporativa confiável de dados e serviços. Isso é realmente a coisa mais importante para nós e o que torna fácil e rápido para os desenvolvedores criarem seus próprios aplicativos e serviços sem terem que se preocupar com a tecnologia por traz disso. Paralelamente, precisamos incorporar os principais aplicativos com recursos de aprendizado de máquina e IA (Inteligência Artificial) que sejam os melhores do setor.

Saberei que somos revolucionários quando nossos parceiros internos e revendedores estiverem conectados à nossa infraestrutura digital e se beneficiando do acesso imediato aos nossos dados e serviços. Todos utilizaremos as mesmas informações, depositando nos mesmos repositórios e alinhados em nosso desenvolvimento. É uma meta ousada - mas temos forte apoio de nossos executivos, vários hubs digitais globais, uma equipe de mais de 800 pessoas e muitas empresas externas poderosas que estão nos ajudando a construir isso. E está funcionando. A empresa não está mais sendo vista como líder mundial em aço - está sendo vista como uma empresa que produz o aço mais inteligente e conectado do mundo.

ler a entrevista em inglês na íntegra